Um Blog sobre Moda e Cultura

Moda

Wonder Woman Colour

Tem coisa mais Pop Art do que história em quadrinhos? Eu digo que não. Foi pensando nisso que resolvi fazer esse post. A marca de maquiagem canadense Mac Cosmetics no mês passado (Maio) lançou no Brasil a linha Wonder Woman Colour.

Coleção Wonder Woman Colour - Reprodução do site.

A linha conta com Mineralize Skinfinish, sombras, batons e blushs todos com embalagens estilizadas com a temática da Mulher Maravilha.  No lançamento, no shopping Iguatemi em São Paulo, a marca montou um stand com recepcionista caracterizada com as roupas da personagem e um painel temático para tirar fotografias.

A Victoria Ceridono – dona do blog Dia de Beauté e Editora de beleza da Vogue Brasil – mostrou todo esse frenesi aqui e aqui.

A linha pode ser encontrada nas lojas físicas da Mac pelo Brasil ou plea internet na sacks.

E se a curiosidade e o fascínio por quadrinhos/maquiagem forem maiores entrem no site da marca: www.maccosmetics.com.br lá tem uma animação em flash suuuper legal.


Yayoi Kusama

Yayoi Kusama, 82 anos, é uma artista plástica japonesa. Possui uma história de vida conturbada, por conta dos 35 anos de internação em uma clínica psiquiatrica em Tóquio no Japão devido a um TOC em alto grau. Abaixo segue uma foto da artista e uma de suas obras.

Yayoi Kusama

Dots Obsession - New CenturyImagens: Reprodução.

Sua obra é o resultado desse distúrbio, e atribui aos pontos que utiliza nelas como resultado de tudo isso. É considerada a maior artista plástica atuante em seu país de origem, o Japão. Recentemente a empresa de cosméticos Lancôme lançou uma linha limitada de lipgloss com a colaboração dessa artista que mesmo com seus problemas psicológicos, continua produzindo diversas obras. Abaixo segue a imagem dos lipgloss, são seis novas tonalidades com uma fórmula rica em mel hungaro e manteiga de karité.

Imagem: Reprodução.


Reinaldo Lourenço e a Pop Art

O estilista Reinaldo Lourenço realizou no ano passado, mais precisamente na coleção primavera/verão 2011, um desfile baseado no movimento Pop Art. Cores fortes e fluorescentes marcaram o desfile do designer, que tinham o preto como pano de fundo.  O corte geométrico também foi destaque do desfile, mas o que chama a atenção é o fato do estilista saber mesclar as cores sem deixar nada exagerado e conseguir dar um equilíbrio as diferetes texturas.

Reinaldo Lourenço, brinca com as cores fazendo referência ao movimento Pop Art e a geometria lembrando aerodinâmica dos carros e da velocidade das pistas, tema de sua coleção. Abaixo algumas fotos do desfile:

Imagem: Agência Fotosite

Fonte das fotos: http://blog.anhembi.br/site/


Pop Art No Brasil

No Brasil o movimento Pop Art deu-se de uma maneira crítica. Na década de 1960 alguns artistas foram inspirados pelo movimento artístico, porém por conta dos movimentos políticos e da proliferação dos meios de comunicação de massa da época essa arte acabou tornando-se engajada político e socialmente.

Alguns artistas destacaram-se nessa época, como Antonio Dias e a obra: Nota Sobre a Morte Imprevista, 1965. Nota sobre a Morte Imprevista , 1965.

Rubens Guerchman e Não Há Vagas, 1965.

Não Há Vagas, 1965

Claudio Tozzi com: Eu Bebo Chop, Ela Pensa em Casamento, 1968.

Eu Bebo Chop, Ela Pensa em Casamento, 1968.

Outros artistas foram influenciados pelos movimento Pop, mas esses em especial foram os que mais se destacaram pelo cunho político de suas obras.